Prevenção e Controle de Enfermidades / Enfermidades Transmissíveis / Hanseníase

Monitoramento da Eliminação da Hanseníase (Leprosy Elimination Monitoring/LEM): Manual dos monitores do LEM Multicêntrico Brasil 2003

Relatório LEM Brasil 2003
Relatórios estaduais

Manual completo
(PDF, 34 pp, 1125 KB, com enlaces no índice aos capítulos listados abaixo)

LEM Brasil 2003

Introdução
- Histórico
- Objetivo do LEM
- Uma visão geral
- Conteúdo do manual

O que monitorar
- Quadro geral dos indicadores-chave
Grupo I: Indicadores de eliminação
Grupo II: Indicadores de integração
Grupo III: Qualidade dos serviços de PQT

Como monitorar
- Delineamento de um exercício de monitorização
- Planejando e executando o estudo
- Análise e relatório

Anexo I: Tabela de formulários
Anexo II: Monitores LEM Brasil 2003

Página Hanseníase OPAS:
espanhol   |   English
Página Hanséniase OMS:
English   |   espanhol   |   français

Conteúdo do manual

O manual apresenta duas seções:

  1. A primeira explica o que deve ser monitorado pelo LEM.
  2. A segunda seção descreve como monitorar.

Os anexos oferecem os formulários para coleta de informações que também auxiliarão no entendimento dos detalhes das informações a serem coletadas.

Objetivo do LEM

A avaliação de intervenções torna-se particularmente importante quando se toma em conta a meta de eliminação da hanseníase. O objetivo de monitorar é auxiliar aqueles que tomam as decisões e os gerentes de programas em avaliarem os progressos em direção à eliminação, a fazerem planos de ação, implementá-los e medirem seu impacto. Monitorando um pequeno número de indicadores que descrevem os serviços de poliquimioterapia (PQT) serve bem a este propósito:

  • A seleção dos indicadores a serem monitorados deve ser cuidadosa, levando-se em conta a característica epidemiológica da hanseníase e o grande número de lacunas no entendimento da doença:
    • A incidência é o indicador mais relevante, porém, pode ser o mais difícil deles.
    • A prevalência sofre variações consideráveis dependendo da carga endêmica e de componentes operacionais de intervenções.
    • A incidência de incapacidades e os casos MB na comunidade poderiam ser muito úteis para avaliar a situação da Hanseníase.
    • A distribuição desigual da Hanseníase, assim como o papel de vários fatores locais merecem atenção ao extrapolar os resultados de um local para outro.
  • Os métodos de monitoramento devem ser rápidos, efetivos e ter custo-benefício. Um sistema rotineiro de informações é o principal e essencial componente em monitoramento da situação da hanseníase. Necessita ser voltado para o interesse do programa, simples e rápido.
  • Também é igualmente importante validar os indicadores-chave, tais como prevalência e detecção, principalmente pela aplicação de definições aceitas internacionalmente. Sempre que possível, análise de tendência dos últimos cinco anos será utilizada para avaliar o impacto das atividades de eliminação da hanseníase.
  • Além de todos estes aspectos técnicos do LEM, experiências anteriores mostraram que o exercício exerce um efeito altamente positivo nos agentes de saúde e nos gerentes de programa, que ficam motivados pelas discussões sobre a situação epidemiológica e clínica de suas áreas.