Prevenção e Controle das Enfermidades / Enfermidades Transmissíveis / Hanseníase

Doutor Diltor Vladimir Araújo Opromolla, símbolo da luta contra a hanseníase, recebe homenagem

(Expoepi, Brasília, 23 novembro 2004)

Dr. Opromolla

Diltor Vladimir Araújo Opromolla é um dos grandes nomes ligados ao combate e controle da hanseníase no Brasil e no mundo. Graduado em medicina na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, iniciou suas atividades no Instituto Lauro de Souza Lima (ILSL), em Bauru, no ano de 1959. Publicou vários trabalhos sobre a doença. As pesquisas que realizou na área projetaram seu nome e o nome do instituto em todo o mundo. Hoje, o ILSL é uma referência nacional e internacional no tratamento das doenças dermatológicas em geral e, em particular, da hanseníase.

Em 2004, Opromolla recebeu uma homenagem do Ministério da Saúde pela contribuição dada ao país e ao mundo para a descoberta da cura da hanseníase. Também contribuiu na formação de recursos humanos. À frente da coordenação da residência médica do ILSL, cargo que ocupa até hoje, mesmo depois da aposentadoria em abril de 2004, ele defende o investimento em informação e a manutenção da pesquisa. Para ele, esses dois fatores garantem a formação de profissionais qualificados e a conseqüente melhora da qualidade de vida dos pacientes. Outra luta de Opromolla é contra o preconceito em relação à hanseníase que ainda persiste na sociedade, causada pela descoberta tardia de um tratamento eficaz, que aconteceu somente em 1946.

Entre os cargos que ocupou, destaca-se o de consultor da Organização Pan-americana da Saúde e da Organização Mundial de Saúde. Representou o Brasil em conferências internacionais e foi presidente da Internacional Leprosy Association regional para a América Latina, da Associação Brasileira de Hansenologia e do Colégio de Hansenologia dos países endêmicos.

Nesta 4a Expoepi, convidamos o Senhor Diltor Vladimir Araújo Opromolla, para receber a placa, que será entregue pelo Doutor Horácio Toro Ocampo, Representante da OPAS/OMS no Brasil.

Página hanseníase OPAS: espanhol   |   English