Vigilância Sanitária e Atenção das Enfermidades / Saúde Pública Veterinária / Raiva

Raiva transmitida por morcegos hematófagos na região amazônica:
Consulta de Expertos

(Brasilia, Brasil, 10–11 outubro 2006)

morcego hematófago na Amazônia

Relatório final (em espanhol, 55 pp, PDF, 638 Kb, con vínculos interiores aos capítulos e às apresentações correspondentes em espanhol, português e inglês; abaixo há vínculos às apresentações individuais disponíveis, na língua indicada pelo título e tradução do mesmo para orientação do usuário)
- Siglas
Parte I: Introdução
- Prólogo
- Reconhecimentos
- Resumo executivo (tradução à direita)
- Antecedentes
- Objetivos
- Dinámica de trabajo e participantes

Parte II: Sessões de trabalho
- Sessão de apertura da OTCA
- Conferência inaugural: A raiva no século XXI

Páneis técnicos

1. Situação epidemiológica da raiva humana transmitida por vampiros
- Situación de la rabia humana transmitida por vampiros en América Latina (Situação da raiva humana transmitida por vampiros na América Latina)
- Situação epidemiológica da raiva no Brasil: Ciclo silvestre
- Situación de los brotes recientes en el Ecuador (Situação dos surtos recentes no Equador)

2. Caracterização de risgo da raiva transmitida por vampiros
- Experiencias anteriores en la caracterización del riesgo de rabia humana transmitida por vampiros (Experiências anteriores na caracterização do risgo da raiva humana transmitida por vampiros)
- Modelo de risgo para circulação do virus da raiva em populações de herbívoros no Estado de São Paulo
- Caracterização de risco e controle da raiva dos herbívoros em São Paulo, Amazônia, Brasil

3. Esquemas de profilaxia pré- e pós-exposição à raiva nas zonas selváticas
- Profilaxia da raiva humana: Recomendações da OMS para tratamento anti-rábico pré- y pós-exposição e esquemas para a Amazônia
- Raiva transmitida por morcegos: Recomendações, 2004
- Esquemas de tratamento com vacinas e soros para a região amazônica
- Profilaxis rábica en áreas de difícil acceso (Profilaxia rábica nas áreas de difícil acesso)
- Esquemas reducidos de profilaxia humana

4. Referências de laboratório
- Morcegos, raiva e caracterização
- Diagnóstico laboratorial como herramienta para la vigilancia y el control de la rabia: Aislados del virus rábico prevalentes en la Amazonía y el nordeste del Brasil (Diagnóstico laboratorial como ferramenta para a vigilância e o controle da raiva: Aislados do virus rábico prevalentes na Amazônia e o nordeste do Brasil)
- Antigenic and Genetic Studies of the Rabies Virus Isolated in Brazil (Estudos antigénicos e genéticos do virus da raiva aislado no Brasil)

5. Ações intersetoriais e interprogramáticas de nível local
- Coordenação da Raiva dos Herbívoros e das EETs
- Ações conjuntas do MAPA, AGED-MA, MS e SES/MA nos focos de raiva no Maranhão em 2005
- Surto de raiva humana transmitida por morcegos hematófagos no noroeste maranhense
- Situação posterior ao surto de raiva por morcegos hematófagos no Estado de Pará, Brasil
- Ações intersetoriais nas localidades atingidas pela raiva transmitida por vampiros no Equador

6. A cooperação internacional e o desafio amazônico de prevenção da raiva causada por vampiros
- El desafío amazónico: organizaciones nacionales y multilaterales de cooperación en la Amazonía (O desafio amazônico: organizações nacionais e multilaterais de cooperação na Amazônia)
- Globalização e desenvolvimento: Ferramentas para construção de uma agenda estratégica
- Acciones intersectoriales e interagenciales en la región (Ações intersetoriais e interagenciais na região)
- Las enfermedades de los animales y el comercio internacional: el rol de la Organización Mundial de Sanidad Animal (As enfermidades dos animais e o comércio internacional: o rol da Organização Mundial de Sanidade Animal)
- Recomendações da Consulta, por temas
a. Vigilância e caracterização de risgo
b. Profilaxia anti-rábica nas áreas selváticas
c. Atividades intersetoriais nacionais e locais
d. Cooperação técnica entre agências e países
e. Recomendações apresentadas por mais de um grupo
- Comentários finais

Referências

Parte III: Anexos
Anexo 1: Comitês
Anexo 2: Programa da Consulta
Anexo 3: Lista de participantes
Anexo 4: Consideration on the Prevention, Control, and Epidemiologic Surveillance of Vampire Bat-Transmitted Rabies in Man in the Americas (Considerações sobre a prevenção, controle e vigilância epidemiológica da raiva humana: Informe da Consulta sobre a Raiva Transmitida por Morcegos organizada pela OPAS em 1991; em inglês)
Anexo 5: Projeto Morcego: Ações de controle da raiva humana transmitida por morcegos: Informe da Consulta sobre a Raiva Transmitida por Morcegos organizada pelo Ministério de Saúde do Brasil em 1991)
Anexo 6: Resumo da Reunião Técnica para Avaliar a Situação Epidemiológica da Raiva no Brasil centrado na Raiva Transmitida por Morcegos (Ministério da Saúde do Brasil, Brasília, 30 de junho a 2 de julho de 2004)
- Informe de Relatoria (Documento de trabalho)

Vínculos OPAS
- Raiva: español   |   English
- Zoonose / Saúde Animal:
español   |   English
- Unidade de Saúde Pública Veterinária:
español   |   English
- Centro Pan-americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA)

SIRVERA BVS

Sistema de Vigilância Epidemiológica em Raiva (SIRVERA)

Biblioteca Virtual em Saúde Pública Veterinária (BVS)

OMS: Página Raiva humana e animal
(em inglês)

Resumo executivo
morcego hematófago

Embora os esforços dos países das Américas tenham produzidos resultados excelentes no controle da raiva humana transmitida pelo cão—se tem conseguido uma redução de aproximadamente 95% dos casos humanos assim originados—os casos devido a morcegos hematófagos aumentaram consideravelmente. Em 2004, pela primeira vez na história do Programa Regional de Eliminação da Raiva que coordena a OPAS, o número de casos humanos transmitidos por animais silvestres foi maior que os de raiva transmitida pelo cão. Em 2005, essa tendência se manifestou claramente quando foram notificados 51 casos de raiva humana transmitida por morcegos, diante de 11 casos humanos de raiva transmitida pelo cão (Sistema de Informação Regional de Vigilância Epidemiológica da Raiva nas Américas [SIRVERA/OPAS], 2006). A maior parte dos casos transmitidos por morcegos hematófagos ocorreram na região amazônica, que compreende territórios de oito países participantes na Organização de Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA).

morcego hematófago

Com o propósito de discutir o tema da raiva transmitida por morcegos hematófagos na Região amazônica, a OPAS, a OTCA, o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), o Ministério da Saúde (MS) do Brasil e o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) do Brasil convocaram a Consulta de expertos sobre raiva transmitida por morcegos hematófagos na região amazônica, que foi realizado os dias 10 e 11 de outubro de 2006, na sede da OPAS em Brasília, Brasil.

Os objetivos da Consulta foram:

  • revisar as experiências anteriores neste terreno e gerar recomendações para apoiar os países da região amazônica com risco de surtos ou casos de raiva humana transmitida por morcegos hematófagos,
  • estimular a colaboração interinstitucional na prevenção e o controle dos surtos desta doença, e
  • estabelecer enlaces para a cooperação técnica entre os países amazônicos.
morcego hematófago

Participaram da reunião 76 profissionais, que representavam o setor saúde de sete países e técnicos do setor de agricultura de quatro países. Outros eram expertos nacionais e internacionais em assuntos relacionados com o tema da Consulta, como por exemplo dos Centros para o Controle e a Prevenção das Enfermidades dos Estados Unidos (CDC), e representantes de governos estadais e municipais onde ha havido surtos recentes notificados de raiva humana transmitida por morcegos hematófagos. Além dos funcionários dos organismos internacionais encarregados da reunião, também estiveram presentes delegados da Organização Internacional de Epizootias (OIE), a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ / Ministério da Saúde, Brasil), organizações não governamentais (ONG) como a Sociedade Mundial para a Proteção Animal (WSPA) e a Associação Latino-americana de Conservação e Manejo de Vida Silvestre, e membros do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde do Brasil (CONASEMS).

Desmodus rotundus vampiro comiendo

O programa foi planejado de modo permitir uma interação ágil entre os pesquisadores e especialistas do âmbito internacional e das autoridades que são responsáveis de controlar os surtos no nível local, bem como a plena participação dos representantes de organismos nacionais e internacionais, governamentais e não governamentais. A agenda de trabalho incluiu apresentações por especialistas, painéis seguidos de discussão e grupos de trabalho com temas selecionados, os quais elaboraram recomendações que foram objeto de discussões gerais.

Como fechamento dos trabalhos, foram apresentadas as seguintes recomendações aprovadas nas sessões plenárias:

  • É preciso adotar estratégias para que as pessoas agredidas por morcegos recebam tratamento pós-exposição de acordo com as normas técnicas da OMS. Em áreas de difícil acesso aos serviços de saúde, onde sejam registradas muitas agressões a pessoas, o tratamento pré-exposição é recomendado.
  • É preciso impulsionar pesquisas sobre esquemas que facilitem a logística ao aplicar a profilaxia anti-rábica.
  • É necessário promover atividades locais de educação em saúde e controle das populações de morcegos, procurando que os projetos e as atividades respeitem as culturas locais e envolvam as comunidades e seus líderes.
  • Devem-se criar comissões nos níveis centrais e locais, que integrem os setores da saúde, a agricultura, a educação e o meio ambiente, para definirem estratégias locais amplas e coordenadas nas quais se indiquem as atribuições e responsabilidades de todos os participantes.
  • Convém que os países da região amazônica elaborem acordos e projetos sobre este tema, dada a importância da raiva transmitida por morcegos hematófagos tanto para a saúde pública como para a economia.
  • É necessário fortalecer os programas e as ações de controle da raiva em todos os níveis, e é pedido à OPAS/OMS que advogue ante os ministérios da saúde e agricultura para destacar a urgência de atuar contra a raiva humana transmitida por morcegos hematófagos.
DVD: A raiva e os morcegos vampiros CD da reunião

Durante as sessões, apresentou-se um videodisco (DVD) sobre a raiva transmitida por vampiros com título da raiva e dos morcegos-vampiros elaborado pela OPAS e o Governo do México, com apoio dos Governos do Brasil e do Peru. Por outro lado, aos técnicos que atuam na prevenção e controle da raiva transmitida por morcegos se distribuiu a eles um CD com bibliografia sobre o tema da Consulta.

Amazonia 1 Amazonia 2 Amazonia 3

Amazonia, Estado de Pará, Brasil   meninas da região amazônica

Fotos cortesia da Doutora Cristina Schneider, Unidade de Saúde Pública Veterinária, OPAS/OMS